Minha vida pelo mundo

Até onde podemos ir quando acreditamos nas ideias de outras pessoas? Ou até onde podemos ir quando fazemos outras pessoas acreditarem nas nossas ideias? Engajamento é muito mais do que um convite, é compartilhar os mesmos valores.

Em 2014 resolvi embarcar na ideia de uma outra pessoa que mudou radicalmente minha vida. Talvez a decisão mais difícil que eu já tenha tomado. Eu e meu marido na época decidimos inverter um pouco essa possível “lógica”, ou melhor, o padrão das ações esperadas após o casamento. Ao invés de comprar um apartamento e se estruturar para a chegada dos filhos, porque não viajar pelo mundo? No primeiro momento isto pode soar meio maluco. Largar tudo e ir viajar? Mas na verdade, não largamos nada, optamos por um investimento, cujo retorno não é financeiro, e sim espiritual.

Não era de uma viagem de férias, mas sim um caminho de aprendizagem e amadurecimento pessoal e também profissional, seja da vida a dois ou do papel de cada um de nós perante o mundo em que vivemos. Se até alguns membros de Harvard já entenderam que a melhor forma de aprender é viajando pelo mundo, quando fundaram em 2013 a Universidade Minerva, porque não fazer isso por conta própria?

É engraçado como a gente está submetido ao mundo dos padrões, tudo ao nosso redor gira em torno disso. Padrão de beleza, padrão de comportamento, padrão de conhecimento, padrão de moda e etc. Não sou contra ao “padronizar” pois em certos contextos é necessário estabelecer um conjunto de regras mínimas para conduzir determinado grupo a alcançar seu objetivo final. Mas o que me intriga é quando pensamos nos arquétipos da sociedade e tentamos definir um comportamento pelo exemplo da maioria. Pensar fora da caixa é uma experiência libertadora e extremamente rica.

O problema é que o padrão nos faz sermos iguais, e como ser igual quando o ser humano é tão diferente? Como estas diferenças determinam costumes, hábitos, constroem ou destroem relacionamentos, provocam mudan

ças e estimulam descobertas? Foi assim que surgiu o “Histórias pelo Mundo” meu site dedicado a compartilhar histórias, momentos e situações que vivi durante a viagem pelo mundo.

Foram 37 países e mais de 229 cidades. Passamos pelo glamour europeu, a dura realidade africana, aprendemos com a cultura mulçumana nos emirados árabes, mergulhamos a fundo na cultura asiática, chegamos a lugares extremamente remotos da Oceania, algumas ilhas do oceano pacífico, até completar a volta retornando ao continente americano.

O casamento pode não ter durado mas a viagem foi um experiência que vai ficar para sempre na minha memória e um aprendizado com uma riqueza que nenhum diploma é capaz de trazer.

Que tal viajar um pouco comigo? Aperte os cintos e clique no link abaixo:
www.historiaspelomundo.com.br